Translate

fevereiro 16, 2018

Huguinho - Em busca de um lar . . .


Dezembro/2017

Olá perambulantes!

Como estão?
Por aqui, na luta sempre!
Tentando fazer o melhor todos os dias, em prol dos humanos e dos PELUDOS!

Tenho um amor muito grande pelos animais e estou sempre envolvida com algo para protegê-los.
Infelizmente, não posso AUdotar todos, mas posso cuidar, dentro do possível, dos que aparecem em meu caminho e permanecem na rua.

É o caso do HUGUINHO!

Em Setembro de 2016, ao descer da perua voltando do trabalho, encontrei esse peludinho todo sujo, com espasmos, se escondendo embaixo de um carro.
O veterinário é na rua que moro. Toquei lá e perguntei se ele podia me atender. Como eu o conheço desde menino e ele sabe do meu AUmor, disse que sim.
O que eu suspeitava, foi confirmado: ele ainda não tinha 2 anos de idade e estava com cinomose, doença fatal para a maioria dos cachorros.

Outubro/2016

Embora meus Peludos sempre estão com as vacinas em dia, eu não podia levá-lo para casa porque não teria como separá-lo dos outros.
Então, após o atendimento, o deixei na calçada, fui pra casa e peguei uma caixa de papelão. Revesti com plástico grosso e coloquei jornais.
Voltei para lá e acomodei o Huguinho (nome dado "na lata" quando o veterinário perguntou o nome dele. Nem sei porque escolhi esse nome...) dentro da caixa, pois ele não andava.

Outubro/2016

Não tirei foto do antes, no estado em que o peguei, porque além de não andar com câmeras, acho muito triste ver uma vida num estado tão fragilizado.
As fotos acima são de um mês depois de começar a tratá-lo.
Antes de ir para o trabalho, quando voltava do trabalho e no meio da noite, eu ia até o local que o deixei para medicá-lo, alimentá-lo e limpá-lo, já que ele não se levantava para fazer as necessidades. Percebam que uma das minhas mãos o apoia.


Essa doença é ingrata e em alguns casos, quando o Peludo sobrevive, pode ficar com sequelas, ainda mais no caso tão adiantado em que ele estava.
Mas eu não desisti dele. Todos os dias o forçava a se levantar e o incentivava a andar. Ele andava um pouquinho e caía, mas sempre amparado por mim.
Em Novembro/2016, o Huguinho já andava assim, ainda reaprendendo - eu achava bonitinho porque ele usava a parede como guia.


E, aos poucos, ele começou a andar, a acompanhar as pessoas, a querer pular e latir.
Não preciso dizer o quanto meu coração se apertava, pois muitos não gostam de animais, ainda mais quando latem e vão atrás...

Janeiro/2017

Nesta época, ele já tinha recuperado seu pelo e estava engordando devagarinho.
De ônibus, de carro ou a pé, sempre carrego sua ração, pois não deixo de alimentá-lo duas vezes por dia.
Neste dia, ele estava bagunçando, então o coloquei dentro do carro para que comesse rsrs.

Janeiro/2017

É muito difícil me despedir dele todos os dias. Amo muito esse carinha e acho que ele merece uma casa com donos responsáveis, que o ame incondicionalmente, o alimente, vacine e passeie com ele.

Fevereiro/2017

Ele recuperou todo seu pelo, que é muito macio e gostoso de acariciar.
Anda, corre, bagunça pela rua, ama crianças e se relaciona com gatos e coelhos !!!
Ele tem um jeito nato de proteger os que cuidam dele - quer ficar perto e late para quem se aproxima.

Agosto/2017

Ele ainda não tem um lar definitivo.
Algumas vezes ficava na casa de uma família, pois passava por baixo do portão de madeira. Mas este portão foi trocado e embora ele entre lá algumas vezes quando está aberto, não é todos os dias que ele dorme lá.

Novembro/2017

Esta situação é preocupante, pois nenhum animalzinho deveria ser abandonado.
Faça sol ou faça chuva, eles estão sujeitos a maus-tratos e doenças como pneumonia, sarna etc.
Estes das fotos são vacinados e cuidados por mim. Aos poucos, tenho castrado as fêmeas, mas meu maior sonho é dar um lar digno para todos eles.

Infelizmente, não posso levar o Huguinho pra minha casa por causa dos meus AUdotados que incluem senhores de 13 anos, uma ciumenta de 10 anos e um gigante de 7 anos. A mistura de temperamentos é muito grande e não quero que nenhum deles se machuque.

Dezembro/2017

Mas não desisti de arranjar um lar para esse AUmigo!
O amo de paixão e me preocupo com o frio que em breve vai chegar e o que posso fazer por ele.
Sei que quando desejamos algo bom com todo o coração, Deus, no seu tempo, providencia tudo. Sinto que em breve esse peludo conhecerá o que é fazer parte de uma família...

Até lá, ele terá todo o meu AUMOR e cuidados.

Respeite e proteja a vida!
Como sempre escrevo aqui, não precisamos de dinheiro para fazer o bem. Nosso tempo é o que temos de mais valioso para doar em prol de uma vida.




Próxima sexta,
dia 23 de Fevereiro,
1 Projeto por mês!

Já preparou o seu?